quarta-feira, 15 de junho de 2011

A Redenção, Rafael Loureiro



Título: A Redenção – Trilogia Nocturnus, Tomo 3
Autoria: Rafael Loureiro
Editora: Editorial Presença
Colecção: Via Láctea, N.º 96
Nº. Páginas: 294


Sinopse:

Este volume da Trilogia Nocturnus põe fim à saga daqueles que vivem num universo arcano de traços góticos com as suas leis tão diversas das que regem as sociedades humanas. Num mundo onde a Luz e as Trevas se digladiam sem tréguas, Daimon DelMoona regressa agora para junto da sua amada, Lília, devastado pelas trágicas consequências dos acontecimentos que se desenrolaram no volume anterior. Decide então descobrir o que há por detrás daquilo que é considerado uma lenda, segundo a qual um antigo vampiro conseguiu recuperar a sua condição humana. Diz-se que as pistas para empreender essa busca estão gravadas numa pintura. Daimon, não estará sozinho nessa demanda. Mas conseguirá ele algum vez libertar-se da trágica dualidade que o destroçou?


Opinião:

Há bastante tempo que aguardava, expectante e curiosa, a publicação deste volume final da impressionante Trilogia Nocturnus. Admito que Rafael Loureiro habituou-me mal, deixando-me fortemente extasiada perante um estilo de escrita extremamente lírico, poético e pessoal, numa narrativa vampírica que não só facilmente cativa o leitor como se destaca pela sua singularidade. Depois de duas primeiras obras intensamente emotivas, A Redenção apresenta-se não só como uma despedida ao  leitor que, entretanto, se deixou embrenhar numa sociedade altamente estruturada e elitista, como, também, com um adeus imortal entre as próprias personagens que, em última instância e, umas de uma forma e outras de outra, todas elas, mais cedo ou mais tarde, acabarão por atingir a redenção.

Daimon DelMoona, ao fim de dois anos, ainda se sente profundamente atormentado com todos os acontecimentos do passado. Batalhando incessantemente contra o Ser Impuro, Daimon encontra em Lília, a sua amada, não só um refúgio há muito necessitado como também a companheira perfeita para a jornada que, a cada instante mais, se lhe apresenta como a última oportunidade de encontrar uma solução viável para a guerra interna que já não acredita ser capaz de vencer. E é após uma Segunda Morte trágica e inaceitável que Daimon parte em busca da Redenção – lenda ou mito que afirma conter a resposta, a chave, de modo a reverter qualquer vampiro, novamente, à sua antiga condição humana. Encontrando assim a única real hipótese de exterminar, por completo, um Ser Impuro que a cada noite ganha mais terreno, Daimon e Lília aventuram-se numa viagem perigosa, pelos meandros da obscuridade, e que pode muito bem tornar-se, a qualquer momento, fatal. Iniciando com a nossa irmã Espanha e passando por cidades como Londres e Veneza, e países como o Japão, a demanda pela Redenção mostra-se indubitavelmente mortífera e rigorosa... mas completamente precisa.
Dois incrivelmente interessantes livros depois, Rafael Loureiro mostra aquele, sem sombra de dúvida, que será o volume mais íntimo, mais sensível e mais stressante dos três. Acolhendo várias fases emotivas, transpostas ao longo de toda a narrativa, e que vão desde o desespero à compaixão, desviando-se até ao profundo alívio e mistério, A Redenção é um volume final, que encerra uma trilogia, espectacularmente pormenorizado, caracterizado e sentimental. A jornada que Daimon e Lília se vêem forçados a embarcar de modo a alcançarem um pouco de paz de espírito, narrado pela perspectiva pessoal do primeiro, é simplesmente magnifica. O leitor sente-se tão próximo das personagens que é praticamente impossível não se deixar envolver em todos os sentimentos e emoções, crescimento e medos, que os dois experienciam. Tudo isto, acompanhado de um fabuloso leque de culturas e particularidades, vem conferir a A Redenção, uma magnitude e riqueza impressionantes. Incrivelmente bem escrito, com descrições capazes de fazer sangrar um coração forte, e intimamente marcante, Rafael Loureiro termina Nocturnus da melhor forma possível. É com tristeza que deixo este assombroso mundo para trás, mas é com ansiedade que aguardarei um posterior trabalho do autor.

Deixo ainda uma nota especial para o DVD que acompanha uma das edições lançadas do livro. De conteúdo extremamente interessante e que, de certa forma, serve de complemento visual, ao leitor, de todo o universo de leis, normas e beleza vampíricas a que este se viu, automaticamente, transportado com o primeiro volume da trilogia, Memórias de um Vampiro, é um must have para todos aqueles que, de uma ou de outra forma, se sentiram profundamente ligados à vida e às perspectiva de Daimon DelMoona – uma personagem internamente flagelada mas que, mesmo assim, exerce um domínio sedutor em qualquer leitor.
Se gostou de Memórias de um Vampiro e de Ascensão de Arcana, então vai-se deliciar com A Redenção. Esperam-lhe surpresas inimagináveis... 

Para mais informações sobre a obra, consulte aqui!

1 comentário:

Ruteee disse...

Boa crítica.
Podes seguir? http://umprazerdavida.blogs.sapo.pt/
Obrigado :D

2009 Pedacinho Literário. All Rights Reserved.