segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

A Dança da Vida, Gustavo Santos



Título: A Dança da Vida
Autoria: Gustavo Santos
Editora: Oficina do Livro
Nº. Páginas: 216


Sinopse:

João é o filho mais velho de Jaime e Magali, portenha, amante de milongas. Em Sintra, onde vive com a família João manifesta desde menino o gosto pela dança. O sonho de ser bailarino envergonha o pai, que gostaria de ver o filho seguir os seus passos e tornar-se engenheiro. Para a mãe, a vocação do filho é motivo de orgulho, uma extensão da sua própria paixão pelo tango. Como todos os sonhadores, João não tem a vida facilitada. Entre lutar pelo seu sonho ou abandoná-lo definitivamente, opta por ouvir o coração. E é quando o faz que descobre o verdadeiro amor ao lado de Íris, com quem cria uma relação de cumplicidade eterna.
Esta é uma história que ilustra a falta de entendimento e comunicação entre pais e filhos – o eterno conflito de gerações –, a distância entre as expectativas de uns e os desejos de outros e o poder do perdão na hora de acordar para a vida. É um romance sobre a importância do “agora” que ajuda a compreender como é fundamental viver o presente, sem adiar os sonhos nem o amor.
Em A Dança da Vida, Gustavo Santos revela-se um escritor corajoso que explora, numa escrita acessível e dinâmica, a profundidade de muitas vidas, conduzindo o leitor entre a acção e o medo, o infortúnio e a redenção, com a perícia de um bailarino experiente. 


Opinião:

Apaixonei-me por este livro assim que lhe pus a vista em cima. A capa é absolutamente deslumbrante e toda a conjugação de cores e design vai ao encontro do seu conteúdo dinâmico e avassalador. Uma excelente forma de iniciar o novo ano, no entanto, este foi um livro que me deixou algo ambígua em relação a uma decisão e opinião final. Por um lado temos um excelente nível de escrita, muito cuidada e com metáforas fortes e objectivas mas por outro temos uma história que, a perto do meio da narrativa, parece que anda um pouco na corda-bamba, perdendo-se em diálogos confusos e, arrisco-me até a dizer, ligeiramente superficiais. Porém, a poucas páginas do fim, surge uma reviravolta estonteante que o leitor não está, nem de longe nem de perto, à espera, o que vem dar um novo fôlego e uma nova aderência à narrativa. Apesar deste pequeno aspecto negativo, gostei imenso deste livro. Volto a dar ênfase à brilhante escrita de Gustavo Santos, que me deixou com uma vontade enorme em conhecer um pouco mais da sua obra literária.

A história de João é comum a muitas pessoas: incompreendido pelo pai, apaixonado por uma forma de arte diferente daquela que o seu progenitor  consegue aceitar, vê-se subitamente em risco de viver uma vida atormentada e de sofrimento. Tem então uma única solução, somente uma salvação, ir contra o pai e enveredar naquilo que verdadeiramente ama: a dança. Enquanto percorremos a “ascensão” artística de João, assim como vamos tendo noção de todas as suas dúvidas e medos, vamos também ficando a conhecer um pouco mais acerca da sua família e de Íris, a namorada. O desenrolar da narrativa é calmo e expectante. Deliciosamente escrito, A Dança da Vida trata-se de um livro de incrivelmente fácil leitura e compreensão. A sua mensagem, assim como a nota final do escritor, é bastante clara e elucidativa; se existe alguém que pretendemos ver, desejamos ter, queremos amar... se existe algo que temos de alcançar, então mais vale que transformemos essa teoria em prática ainda hoje, enquanto é tempo e enquanto estamos vivos, pois nunca sabemos o dia de amanhã e a verdade é que a nossa vida pode mudar de um segundo para o outro, por isso, há que fazer tudo o que temos a fazer enquanto o podemos fazer, simplesmente “não deixar para amanhã o que podemos fazer hoje”, e esse constante intuito presente neste livro é o que faz o leitor prosseguir nas suas páginas, cada vez mais rápido, cada vez mais sequioso por descobrir o desfecho da história de todos estes personagens.

A Dança da Vida é o título perfeito para este livro, uma excelente forma de entrar no ano de 2011, não apenas por se tratar de um livro que me elucidou mas também por ter sido escrito por um autor português.
Gostei muito. 

2 comentários:

Adriana T disse...

Eu amo tango e sua resenha me fez ficar curiosa, agora vou ter que acrescentar mais este a minha lista.

bento disse...

Ao receber a Dica desta semana fiquei surpreendido com o que li: "Gustavo Santos é apaixonado pela escrita". Pois só um bom actor, apresentador, bailarino é que poderia dar um título tão profundo a um livro. Fiquei muito surpreendido ao saber que tambem escrevia. Eu percebo o que quer com "A Dança da Vida" porque por vezes também encalhamos no pé do parceiro, isto se a dança for a pares. Confesso que ainda não o li. Gostava de o conhecer pessoalmente, por isso deixo aqui o meu mail: bento.manuel_jb@hotmail.com

2009 Pedacinho Literário. All Rights Reserved.