domingo, 3 de fevereiro de 2013

Cinzas da Meia-Noite, Lara Adrian [Opinião]




Título Original: Ashes of Midnight
Autoria: Lara Adrian
Editora: Quinta Essência
Nº. Páginas: 329
Tradução: Filipa Aguiar


Sinopse:

Quando cai a noite, Claire Roth foge de casa, impelida por uma feroz ameaça que parece ter saído do próprio inferno. Então, de entre as chamas e as cinzas, aparece um guerreiro vampiro. Ele é Andreas Reichen, o seu antigo amante, agora um estranho consumido pela vingança. Apanhada no fogo cruzado, Claire não pode escapar da sua fúria selvagem, nem da fome que a arrasta para o seu mundo de eterna escuridão e infinito prazer. Nada impedirá Andreas de destruir o vampiro responsável pelo massacre dos seus irmãos da Raça... mesmo que isso signifique utilizar a ex-amante como isco na sua missão mortífera. Ligada pelo sangue ao seu perigoso adversário, Claire pode conduzir Andreas até ao inimigo que ele procura, mas é um caminho repleto de perigos... e de profundos e inesperados prazeres. Pois Claire é a única mulher que Andreas não deve desejar, e a única que amou. Inicia-se assim uma perigosa sedução que dilui a linha que separa presa e predador e aviva as chamas de uma ardente paixão que pode consumir tudo no seu caminho...


Opinião:

Cinco guerreiros antes dele, deixaram-se levar pelas amarras do amor. Pelo sentimento forte que cresceu em torno de um conforto imprescindível, inviolável, imensurável. Cinco almas destruídas, maltratadas, em sofrimento, que se renderam às evidências, que afastaram as vinganças, que abraçaram as alegrias. Cinco almas que servem de exemplo, que são como irmãos, e que sempre estarão lá, para o bem e para o mal. Agora, chegou a vez de Andreas...

Cinzas da Meia-Noite trata-se de um volume extremamente aguardado, dentro da saga Raça da Meia-Noite, onde uma personagem, um guerreiro alemão que tem vindo, aos poucos, a revelar-se nos romances anteriores, capta aqui as atenções numa narrativa cheia de adrenalina, paixão e restrições pessoais. Com um poder sobrenatural incandescente, e um amor que nunca lhe foi possível esquecer ou ultrapassar, Andreas depara-se, neste livro, com um futuro que em nada se auspicia promissor e com uma insaciável sede por vingança.
Lara Adrian é detentora de uma escrita cativante e que transpõe, com cuidado e na perfeição, todos os sentimentos escondidos por trás de cada acção, assim como todas as emoções espelhadas nas personagens – mas isso não é novidade nenhuma. O que Adrian traz de novo, e isso sim, neste romance em particular, é uma componente mais fria, mais sombria e misteriosa tendo em conta o passado de Andreas e tudo o que este pretende alcançar com a missão a que se auto-impôs.

Depois da destruição que abalou o seu Refúgio em Berlim, assim como a matança que perseguiu aqueles que lhe eram queridos, Andreas Reichen soube, sentiu no mais fundo do seu ser, que nunca mais seria o mesmo, que nunca mais seria capaz de confiar em alguém, que nunca mais conseguiria travar o enorme calor, o pulsante fogo que lhe corre nas veias. Andreas Reichen soube, naquele preciso instante, que a única coisa suficientemente forte, suficientemente aprazível e que lhe poderia trazer algum tipo de paz, cingia-se a eliminar todo e qualquer terrorista que havia planeado e executado a devastação física e emocional que o assolou e congelou até aos ossos. Mas ninguém o poderia preparar para Claire Roth.
Aquela que sempre amou, aquela que sempre lhe deixou o coração quente, aconchegado, apaixonado. Aquela que foi forçado a deixar, aquela que enganou, que abandonou, para proteger. Só que Claire não quer saber nada disso. O que ela quer, acima de tudo, é voltar ao tempo em que ambos eram um só, em que tudo era simples e onde o amor era o sentimento reinante. Mas com Wilhelm no caminho, nada será fácil nem, tão pouco, voltará a ser simples.

Em termos de enredo, esta foi uma história que me preencheu as medidas e que, penso, veio dar um novo fôlego, uma nova visão e perspectiva a todo a saga. Com momentos de suspense, de medo e perigo, mas também de maior carga dramática e emocional, Cinzas da Meia-Noite trata-se de uma mistura equitativa – e bastante explosiva! – de todos os ingredientes certos e indispensáveis numa obra dentro do romance paranormal.
Quanto às personagens, estava bastante curiosa com as possíveis reacções e acções de Andreas a respeito do que foi feito ao seu lar, e foi com bastante agrado que percorri as páginas deste volume, satisfeita com o desenrolar da história da personagem assim como do seu desenvolvimento pessoal. O mesmo se aplica a Claire, pela sua persistência e auto-domínio em prol de um amor que nunca esqueceu. Mas, foi igualmente aprazível conviver com algumas outras figuras que me marcaram, outros guerreiros pertencentes à Ordem, como é o caso de Tegan. Acredito que a interacção contínua de intervenientes de destaque, e suas companheiras, é algo bastante apelativo à medida que se vai avançando na saga.

No geral, esta foi uma leitura extremamente satisfatória e que soube manter o interesse e o virar das páginas sempre activo. Mesmo seguindo a fórmula dos volumes anteriores – o que permite ao leitor, de antemão, saber o que vai acontecer ou como vai a trama terminar – acredito que houveram alguns momentos mais expectantes e sombrios que, de certo modo, foram uma novidade. Na minha opinião, destaco todo o desabrochar de Andreas assim como os pequenos segredos, as ínfimas informações deixadas aqui e ali que criaram já alguma curiosidade e interesse em torno do próximo livro.
Uma excelente aposta por parte da Quinta Essência, numa vertente mais sobrenatural do romance. Gostei.

1 comentário:

v_crazy_girl disse...

Este tem que vir cá para casa para eu ler!! É obrigatório!

Tens um selinho no meu blog :D
http://blocodedevaneios.blogspot.pt/2013/02/selo-novo-selinho-que-anda-passear-nos.html

bjs*

2009 Pedacinho Literário. All Rights Reserved.