segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Cobiça, J. R. Ward



Título Original: Covet
Autoria: J. R. Ward
Editora: Quinta Essência
Nº. Páginas: 520
Tradução: Filipa Aguiar


Sinopse:

Redenção não é uma palavra que Jim Heron conheça muito bem. A sua especialidade é a vingança e, para ele, o pecado é relativo. Mas tudo muda quando se torna um anjo caído e é incumbido da tarefa de salvar sete pessoas dos sete pecados mortais... e o fracasso não é permitido.
Há muito que Vin diPietro se entregou ao trabalho... até que o destino intervém na forma de um autoproclamado salvador de aspecto duro e de uma mulher que o fará questionar o seu destino. Com uma entidade malévola pronta a reclamá-lo, Vin tem de unir forças a um anjo caído não só para conquistar a sua amada... mas também para salvar a sua alma.


Opinião:

Uma morte imprevisível serve de mote perfeito a uma luta que transcende a orla do tempo. Entre o Bem e o Mal, um objectivo será traçado, um futuro será decidido e sete almas terão de ser salvas... ou perdidas para toda a eternidade. E é nas mãos de um único homem que reside o poder de persistência da Humanidade, mas será ele forte o suficiente para afastar a tentação do pecado e concentrar-se no seu novo destino?
J. R. Ward, fortemente aclamada pela série «Irmandade da Adaga Negra», decidiu fazer uma pausa no mundo dos vampiros e oferecer uma imperdível oportunidade aos anjos. Numa refrescante e criativa nova abordagem, a autora pegou num tema decididamente interessante e, com uma premissa e história bem construídas e apelativas, criou um enredo primado pela violência, pela avidez do desejo e pelo amor.

Sete são os pecados mortais e sete serão as almas que o protagonista desta saga, Jim Heron, terá de encontrar e ajudar. Dotado de uma personalidade vincada e até, por vezes, arrogante e solitária, esta é uma personagem que não resistirá a ajudar o próximo ainda que tal lhe possa trazer graves problemas. O que Jim não estava de todo à espera era que a primeira das almas a salvar pertencesse ao homem para quem trabalhava antes de sofrer um acidente e ir parar a um cenário demasiado improvável para ser real, e tendo este homem um poder económico e social em muito desfasado do seu, conseguirá Jim concluir, com sucesso, a tarefa que lhe foi incutida?
Vin diPietro é uma pessoa habituada a ter tudo do bom e do melhor. Com um dom que o levou ao patamar de riqueza em que se encontra hoje, Vin prepara-se para pedir a mão daquela que concede algum conforto ao seu lar quando, inesperadamente, se depara com a mulher que pode muito bem ser a alma gémea que, no seu inconsciente, à tanto procurava. Mas será ela capaz de o aceitar tal e qual como é? Ou a verdade que tão bem esconde não lhe permitirá amá-lo?

Marie-Terese esforça-se por manter uma posição neutra e serena num trabalho que insiste em roubar-lhe a pouco dignidade e respeito próprio que lhe resta. Protegida por um patrão preocupado e venerada por um desconhecido perigoso, Marie-Terese é uma mulher demasiado frágil para lidar com os riscos de uma profissão imoral e tomada como fácil. E enquanto faz os possíveis por conseguir alguma paz e felicidade para si e para o seu filho, um passado que julgava esquecido e enterrado volta para a atormentar. O que ela mais deseja é salvar-se a si e ao pequeno homem da sua vida... mas terá a coragem para enfrentar o mal pela raiz? Ou limitar-se-á a fugir uma vez mais?
Devina, uma mulher poderosa, traída e à beira da loucura, entra num estado emocional e contratual que a levará a cometer as mais fatais e arriscadas acções, tudo em prol de um único e muito precioso objectivo. Uma promessa foi-lhe feita e uma segurança assegurada, mas agora que tudo parece fugir do seu controlo, o que terá de fazer para reaver aquele que aprendeu a amar e que a fará demoniacamente feliz?

Cobiça é um romance inovador na forma como retrata, com engenho, uma das espécies do sobrenatural mais curiosas e ambicionadas – os anjos. E embora, pessoalmente, tivesse gostado de ter apreciado com maior afinco e demora estes seres encantadoramente excêntricos, a verdade é que Ward conseguiu conferir, a esta obra, um equilíbrio excepcional entre fantasia e realidade, romance e acção. E mesmo que as intervenções de tais criaturas primorosas sejam acompanhadas de um certo humor, por mim, bastante prezado, confesso ter ficado igualmente satisfeita com a atenção e detalhes que a autora criou em redor das personagens principais e daquelas secundárias que, mesmo não tendo grandes participações, serviram o seu propósito e deixaram o seu quê de inesquecível e inquietude ao longo da narrativa.  

Não restam dúvidas de que este é um livro recheado de surpresas e pequenos e deliciosos pormenores para um leitor que não só simpatize com este género muito especial e sensual da fantasia urbana, como também goste de uma autora que tanto escreve com um talento incrivelmente natural como é portadora de uma imaginação de alto nível. Para quem é seguidor da outra série de Ward, este será um estilo para si já conhecido e, como tal, um livro que será lido de um só fôlego. A quem não conhece, resta-me somente aconselhar que corra até à livraria mais próxima e, numa destas noites de frio rigoroso que se aproxima, se deixe aquecer com descrições escandalosamente belas, personagens divinamente originais e uma escrita incontrolavelmente exímia. Uma excelente aposta da Quinta Essência que, mesmo começando a dar pequenos passos no mundo da fantasia, continua a escolher romances claramente femininos – mas que os homens também podem ler.

2 comentários:

Ca disse...

Já li os dois primeiros desta série e até agora parece-me muito bem.
Bem diferente da outra série da autora que me anda a dar caboo dos nervos :)

Pedacinho Literário disse...

Ahahah, então, Ca? Por que te anda a dar cabo dos nervos? Conta-me! :D

Eu ainda só li este mas gostei. É como dizes e bem, super diferente da outra série da autora mas, nem por isso, inferior. :)

2009 Pedacinho Literário. All Rights Reserved.