domingo, 5 de junho de 2011

Uma Bruxa em Apuros, Kim Harrison



Título Original: Dead Witch Walking
Autoria: Kim Harrison
Editora: Chá das Cinco
Nº. Páginas: 374
Tradução: Rita Guerra


Sinopse:

Todas as criaturas das trevas se reúnem na cidade de Hollows para se esconder, festejar... e comer. As longas noites são dominadas por vampiros num mundo de predadores que se caçam uns aos outros sem piedade.
A jovem e sexy Rachel Morgan é caçadora de prémios por profissão e bruxa por vocação. A sua obrigação é manter Hollows minimamente civilizada. Vagueando pelas ruas da cidade, Rachel persegue criaturas sobrenaturais que cacem os habitantes mais inocentes e vulneráveis.
Mas quando a noite esconde os maiores pesadelos imagináveis, uma personalidade forte e uma mão cheia de feitiços podem não ser suficientes para sobreviver. A não ser, claro, que Rachel Morgan seja mais do que aparente ser...


Opinião:

Numa obra de estreia divertida e cheia de acção, Kim Harrison apresenta uma heroína ao estilo de Mercy Thompson – forte, equilibrada e cujo instinto de sobrevivência ultrapassa tudo e todos – capaz de provocar toda uma série de emoções no leitor, desde empatia a medo, fugindo pelos campos do desespero e da surpresa.
Uma Bruxa em Apuros é um delicioso primeiro volume que vem deitar as cartas de um jogo extremamente perigoso, muito perto de se tornar fatal, e que insiste em intrometer-se no caminho de uma protagonista destemida e corajosa. Apresentando um grupo de personagens encantadoramente divertidas, interessantes e, ao mesmo tempo, assustadoras, Kim Harrison mostra ao leitor um novo olhar perante um género – fantasia urbana – já algo saturado. Escolhendo uma bruxa para o papel principal, a autora conseguiu criar um ambiente de feitiços e encantamentos que, de uma forma gradual mas bastante intensa, vai agarrando o leitor às páginas que, a cada capítulo, parecem voar mais rápido.

Caçadora de prémios por profissão, Rachel Morgan faz tudo o que está ao seu alcance por se afastar da execução de feitiços pela própria mão, escolhendo comprá-los em alternativa. No entanto, quando decide apresentar a sua demissão à S.I. (agência assegurada de capturar todos os seres paranormais que infrinjam as regras) visto estar constantemente a receber trabalhos de nível inferior vê-se, subitamente, entre a vida e a morte – assim como a ter de executar os seus próprios bruxedos e amuletos. É que, para sua desgraça, Ivy, a mais valia da S.I. e vampira viva de raça superior achou por bem despedir-se na mesma altura pagando, inclusive, o seu contrato e forçando assim Denon, chefe da S.I., a colocar a cabeça de Rachel a prémio por pura vingança. É então que Rachel se vê a viver em solo sagrado com uma vampira emocionalmente instável e que lhe transmite, demasiadas vezes, a sensação de lhe querer morder o pescoço, um pixy (mais respectiva família) que, sempre que possível, lhe faz a vida num autêntico inferno de genuíno humor e um vizinho bruxo estranhamente desconcertante. Como se tudo isto junto não fosse por si só preocupante e deveras esgotante, Rachel tem ainda de lidar com a constante ameaça à sua vida e com a diabólica busca por segurança, metendo-se assim nas mais atribuladas e surpreendentemente invulgares das situações.

Acompanhado de uma escrita rítmica, simples e suave, Kim Harrison faz as delicias do leitor mostrando uma história extremamente bem construída e pensada, com um cenário misticamente sobrenatural de encantar os amantes do género, personagens de tirar o fôlego e uma acção prontificada e repleta de reviravoltas e inesperadas surpresas. Embora Rachel seja uma protagonista de peso, creio que, ainda que pelos olhos dela, Uma Bruxa em Apuros é mais uma apresentação do mundo em que ela se insere e não tanto propício ao seu desenvolvimento enquanto personagem principal. Acredito que, em volumes futuros, encontraremos uma Rachel com um crescimento e progresso interior muito mais acentuado e perceptível. Contudo, penso que o mesmo não aconteceu com algumas das restantes personagens, como é o caso de Jenks, o adorável pixy e Ivy, a vampira volúvel. Gostei particularmente de Jenks por se tratar de um ser com o tamanho de uma fada, como a sininho, e mesmo assim apresentar acções, pensamentos e reacções de um humano de metro e oitenta. Infelizmente, não digo o mesmo de Ivy – ainda que uma personagem deveras interessante, penso que lhe faltou algo para verdadeiramente cativar o leitor. Quanto a Trent Kamalack, uma personagem intrigante e misteriosa, confesso que fiquei particularmente curiosa por descobrir mais, especialmente sobre o que ele é ao certo – se humano, se Inderlander, se um pouco de ambos ou se nenhum dos dois.

Ainda que, Uma Bruxa em Apuros, tenha sido uma narrativa que inicialmente me deixou algo confusa e reticente, com o avançar das páginas e o entrar na vida em Hollows e nas atribulações de Rachel, todas as dúvidas e hesitações ficaram para trás. Com uma iniciação intrigante e curiosa ao fascinante mundo de Rachel Morgan, fica então nota positiva para um obra que, sem dúvida, tem todos os ingredientes para se tornar um estrondoso sucesso. Mais uma excelente aposta da Chá das Cinco, uma chancela Saída de Emergência.
Ah... e não se esqueçam que Bruxa e Detective, o segundo volume desta escritora fantástica, já se encontra à venda desde sexta-feira. Não percam a oportunidade de se deixarem deslumbrar por um mundo estranho dotado de personagens de grande valor. Recomendo.

1 comentário:

Elphaba J. disse...

Boa crítica miga, parabéns :)

2009 Pedacinho Literário. All Rights Reserved.