sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Evernight, Claudia Gray



Título Original: Evernight
Autoria: Claudia Gray
Editora: Planeta
Nº. Páginas: 292
Tradução: Raquel Lopes


Sinopse:

A Raquel inclinou-se para mim e sussurrou: — Nunca te parece que há qualquer coisa nesta escola que é... cruel? — A sua voz tremeu. — Acreditas no mal absoluto? Nunca me tinham feito aquela pergunta, mas eu sabia a resposta:  — Sim. Acredito.

A Bianca quer fugir.
Foi arrancada à sua pequena terra natal e inscrita na Academia Evernight, um sinistro colégio interno gótico, onde os estudantes são estranhamente demasiado perfeitos: inteligentes, requintados e quase predadores. Bianca sabe que este mundo não é o seu. Depois, conhece o Lucas. Tal como ela, não se enquadra em Evernight, e gosta que assim seja. Lucas ignora as regras, faz frente aos snobes e diz a Bianca que ela tem de ter cuidado – mesmo quando se trata de gostar dele.
Mas a ligação que une Biança e Lucas não pode ser negada. Ela correrá qualquer risco para estar com o Lucas, mas segredos obscuros estão destinados a separá-los... e a levar Bianca a questionar tudo aquilo em que sempre acreditou.


Opinião:

Evernight começa com o prólogo que permite ao leitor enquadrar-se dentro da espécie sobrenatural abordada ao longo do livro – vampiros. Para uns, a consciência tomada acerca desta temática pode ser o suficiente para voltar a colocar o livro na prateleira e seguir caminho, mas para outros, como eu, isso pode ser fruto de inspiração para umas horas bem passadas e em excelente companhia.

Após um prólogo tentador, o leitor é automaticamente levado a conhecer Bianca, a protagonista desta narrativa, que se encontra numa tentativa de fuga falhada. Desprovida dos bens mais essenciais para a sua sobrevivência, deixa-se embrenhar numa floresta onde acaba por conhecer Lucas, um rapaz atraente que frequenta a mesma escola que ela, a Academia Evernight. Este primeiro encontro é o suficiente para deixar bem claro, tanto ao ávido leitor como aos personagens na sua própria história, a importância que cada um deles irá exercer no outro e isso faz com que as primeiras pontinhas de curiosidade comecem a surgir. Assim, para além do devido e esperado desenvolvimento com a apresentação da academia e dos seus alunos, o leitor é levado por uma teia de mistério onde, e também pressionado pela voz da protagonista, é persuadido a pensar que algo de muito errado se passa tanto com a escola como com os seus habitantes. E é esse misticismo que permite um avançar rápido na narrativa, culminando com uma surpresa quando menos se espera. Quase a meio do livro parece que estamos novamente a entrar, pela primeira vez, na história de Evernight, pois a alteração de comportamento por parte de Bianca, os conhecimentos e as descobertas que o leitor vai recebendo acerca do vampirismo tão pouco relatado, e toda a reviravolta e verdadeira natureza da grande maioria dos personagens, deixa o leitor completamente espantado e boquiaberto. Daí para a frente é surpresa atrás de surpresa, e é precisamente esse aspecto o ponto forte da escrita e imaginação de Claudia Gray. A forma como a autora encaminha os seus leitores pelos túneis da descoberta é simplesmente soberba, e sempre que pensamos saber o que se segue, eis que tudo muda outra vez.

Este foi um livro que gostei imenso de ler. Aliás, confesso que na primeira grande revelação fui quase que forçada a ler as últimas frases de novo e a pousar o livro, por breves instantes, de modo a assimilar toda a surpresa sentida. E como se isso não bastasse, a partir desse exacto momento, para mim, toda a restante narrativa foi situação inesperada atrás de situação inesperada, o que conferiu à leitura uma fluidez suave e muito própria. Só tenho pena que Evernight seja um livro  pequeno (provavelmente porque, como em todas as boas séries de fantasia, foi terminar num ponto fulcral de modo a deixar o leitor sequioso por mais) e que por isso seja lido com relativa rapidez. Uma obra que gostei muito, indo bastante além de um simples amor adolescente,  e pela qual, ansiosamente, aguardarei uma continuação. Espero que não demore muito aparecer, Evernight é, sem sombra de dúvida, um livro a ler para qualquer amante de fantasia urbana. Até porque, pela primeira vez em muito tempo, os papéis de amor proibido são-nos apresentados... trocados.
Uma obra interessante, surpreendente e cativante.
Gostei muito. 

7 comentários:

Elphaba J. disse...

Já acabas-te!? Grrr! XD

Bem o final deve ter sido mesmo bom, estou ansiosa por lá chegar! Bom post, beijinhos!*

Pedacinho Literário disse...

Ah pois é, minha querida amiga, mas olha que fiquei com pena. Foi um livro que, à medida que ia avançando na leitura, cada vez ia gostando mais dele. Foi pena terminar depressa. ;)

Beijinhos!*

Isabel disse...

Também estou ansiosa por ler...no antanto posso já informar que existem 4 livros desta série portanto vem ainda muito para ler...:D

Pedacinho Literário disse...

Isabel, isso é uma excelente notícia porque estou ansiosa por ler mais sobre Bianca, Lucas e todo o seu mundo envolvente. xD

Juanitah Nunes disse...

Mais um livro que me surpreendeu imenso... Nunca pensei gostar tanto dele!
Anseio pelos próximos volumes... Patty a Planeta por acaso não te disse quando saira' o próximo?

Pedacinho Literário disse...

Miga, somos duas! :)
Por acaso não sei a resposta à tua pergunta mas vou tentar saber. Depois dou notícias (se as tiver, eheheheh).

Juanitah Nunes disse...

brigada miga! e' que tentar contactar a Planeta e' deveras complicado x)

2009 Pedacinho Literário. All Rights Reserved.