quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Levaram-me, Paulo Pereira Cristóvão e Susana Ferrador




Título: Levaram-me
Autoria: Paulo Pereira Cristóvão e Susana Ferrador
Editora: Editorial Presença
Nº. Páginas: 187


Sinopse:

Este é o relato na primeira pessoa da história de vida de António, um rapaz português que aos nove anos foi levado da Aldeia das Dez, em Oliveira do Hospital, por um homem que se fez passar por seu tio. Sabia que havia uns tios em Lisboa que não conhecia, e facilmente se deixou convencer pelo à-vontade que aquele homem de ar bonacheirão lhe transmitia. E assim começou para António o pior dos infernos que uma criança pode ter de suportar – viu-se afastado da família e da vida que até então conhecera e inserido numa rede de pedofilia internacional onde foi abusado sexualmente, acabando, graças ao seu instinto de sobrevivência, por integrar-se nela, chegando a braço direito do seu líder. Inspirada em casos reais e paradigmáticos ocorridos no nosso país e pelo mundo, esta obra, cuja acção tem lugar em diversos países da Europa, na Ásia e no Brasil, pretende combater a ignorância a respeito desta realidade chocante ao revelar-nos os meandros de uma rede de pedofilia internacional e das próprias mentes dos predadores sexuais, e assume-se como um apelo à liberdade destas crianças que cedo se viram obrigadas a deixar de o ser.


Opinião:

Levaram-me não é um livro fácil. Aliás, é uma narrativa que apesar de prender o leitor da primeira à última página, exerce um profundo sentido de reflexão aquando da sua leitura que, à medida que se vai avançando, fica cada vez mais difícil de ignorar.

Pela voz de António, um menino de nove anos que foi raptado e inserido numa rede de pedofilia internacional, o leitor fica a conhecer não só a sua angústia ao se aperceber daquilo que o rodeia, de toda a mentira engendrada e do futuro incerto e abusivo que se avizinha, mas também a forma como, pela sobrevivência, António teve de se adaptar e transformar. Apesar de ser um livro em que o intuito máximo não é chocar à primeira vista, é impossível o leitor não se sentir sensibilizado e até revoltado com o que invariavelmente encontra nesta leitura. A verdade é que podemos pensar que estes raptos acontecem de um momento para o outro, que é algo intuitivo e que somente passa da teoria para a prática quando há uma relativa necessidade e urgência, mas não é isso que acontece. Cada criança é escolhida premeditadamente, avaliada, estudada e todo e qualquer pormenor envolvente no rapto é delineado e programado ao mais ínfimo detalhe, eliminando por completo o risco de insucesso, e é esse o terror que deixa uma maior marca tanto na criança como na família que, infelizmente, fica impossibilitada de fazer seja o que for.

Levaram-me é um livro marcante e que deixa o leitor a pensar em todas as crianças espalhadas pelo mundo, que sofrem estes abusos e que nunca mais voltarão a ser o que eram, que nunca mais verão as suas famílias, encontrarão os seus amigos, terão as suas alegrias próprias de uma infância e de uma adolescência dita normal. Levaram-me é um livro bastante claro e que deixa o leitor de olhos abertos para o que verdadeiramente se passa no mundo da pedofilia, um relato impressionante pela voz de uma vítima, uma narrativa difícil de esquecer e colocar de lado. 
Aconselho.  

1 comentário:

Ana Alves disse...

Sem duvida um livro super interessante, já o li...e este natal ofereci uns quantos...mas bastante realista ao ponto de o ter de deixar de ler para acalmar o estômago....
Os meus parabéns pela clareza dos pormenores e pela escrita!

2009 Pedacinho Literário. All Rights Reserved.